Blog

A sustentabilidade e a continuidade de um negócio dependem, essencialmente, de uma gestão financeira eficaz. Sem ela, a empresa pode incorrer em uma série de falhas que comprometem a rentabilidade e a lucratividade de um negócio. E para o gerenciamento das finanças uma das ferramentas mais importantes é a conciliação bancária.

Na prática, ela permite um controle preciso dos valores transacionados na empresa. Muitas vezes, é justamente a ausência deste tipo de prática que coloca a saúde financeira das organizações em risco.

Segundo dados do Sebrae, a falta de planejamento financeiro é uma das principais razões que levam à falência: 19% dos negócios fecharam devido à falta de capital/lucro. 

A sua empresa não pode correr esse risco. Entenda, neste post, como e porque a conciliação bancária pode proteger seu negócio. 

O que é conciliação bancária?

Consiste em uma ferramenta de controle interno essencial na gestão financeira e tributária. A conciliação bancária ajuda a identificar erros contábeis e bancários, bem como a prevenir e detectar fraudes.

É a partir desta prática que os profissionais conseguem compreender as interações entre os saldos de caixa do registro contábil e o saldo do extrato bancário.

O principal objetivo de uma conciliação bancária é avaliar se os procedimentos do controle interno estão corretos e se todos os lançamentos estão de acordo com os extratos bancários.

Especialmente para empresas que aceitam pagamentos por meio de cartões de crédito, débito e boletos bancários, fazer a conferência da conta bancária, comparando-a com os lançamentos financeiros do fluxo de caixa é importantíssimo.

A conciliação bancária garante que todas as transações que passaram pelos extratos bancários sejam revisadas e verificadas, reduzindo as probabilidades de erros e inconsistências que podem gerar desperdícios e prejuízos. 

Além disso, a conciliação bancária também garante a integridade dos dados do fluxo financeiro. Isso porque todos os pagamentos e recebimentos da conta bancária também são registrados no controle contábil. 

Porque a conciliação bancária é importante?

A conciliação bancária precisa ser feita regularmente para identificar discrepâncias antes que se tornem problemas. Na ausência desse processo, as empresas podem acabar com cheques devolvidos, pagamentos mal sucedidos ou depósitos bloqueados. Todos esses resultados afetam o fluxo de caixa, prejudicando a sustentabilidade e o crescimento futuro do negócio.

A conciliação bancária periódica também ajudam a detectar fraudes e manipulações de dinheiro rapidamente para minimizar os danos à empresa. 

Portanto, realizar uma reconciliação bancária é uma etapa importante para proteger a empresa de perder dinheiro desnecessariamente.

Conciliação bancária: 5 benefícios do processo

Na prática, a conciliação bancária periódica fortalece a gestão financeira, minimizando os riscos de prejuízos, desperdícios e danos à empresa.

Confira alguns dos benefícios desta prática: 

  • Maior confiança na quantidade de dinheiro que tem em mãos;
  • Controle apurado de despesas e prejuízos, como descontos indevidos no extrato bancário;
  • Insights sobre quais pagamentos de clientes ou fornecedores falharam;
  • Assertividade e eficácia na gestão financeira e fiscal;
  • Maior confiança empresarial para atrair investidores;
  • Conformidade fiscal para auditorias internas e externas;
  • Acesso a dados que orientam as tomadas de decisão na gestão financeira e a elaboração do planejamento estratégico da empresa. 

Conciliação bancária: conheça o passo a passo

Agora que você já conhece a importância da conciliação bancária, o próximo passo é entender como conduzir essa prática. Confira as nossas dicas!

1. Obtenha registros bancários

Para conciliar seus registros, você precisará acessar uma lista de suas transações. Você pode obter essas informações por meio de serviços bancários online, extrato bancário ou permitindo que seu banco compartilhe dados com seu software de contabilidade.

2. Reúna seus registros de negócios

Você também precisará acessar o livro razão da sua empresa. Normalmente, essas informações são mantidas em uma planilha, livro de registro ou em um programa de contabilidade.

3. Encontre um lugar para começar

Onde você começa vai depender de quando você conciliou seus livros pela última vez. Se você não tiver certeza, tente identificar a última vez que seus livros corresponderam ao saldo de sua conta bancária e comece a partir daí.

4. Verifique e analise as receitas e despesas em seus livros

Compare seus livros contábeis com os extratos bancários e certifique-se de que todas as transações tenham sido contabilizadas. Se identificar alguma inconsistência, descubra a razão. Talvez, um pagamento ainda não tenha sido compensado ou você tenha esquecido de contabilizar uma despesa quitada em dinheiro.

Além de analisar os saldos, é importante verificar também se as datas das transações correspondem com os registros feitos pelo controle interno. Essa checagem reduz o risco de ser multado por atrasos, por exemplo

5. Faça os ajustes necessários 

Há momentos em que um extrato bancário não reflete com precisão as transações de uma empresa. As causas comuns podem ser cheques pendentes, erros bancários ou depósitos que ainda estão em trânsito. Seja qual for o motivo, faça as alterações necessárias no extrato bancário.

6. Compare os saldos finais do extrato bancário e do fluxo de caixa

Depois de ter analisado os registros e feito os ajustes, você precisará confirmar se os saldos finais agora são os mesmos para, então, concluir o processo de conciliação bancária. Se eles ainda estiverem desiguais, repita o processo para encontrar o erro.

Ao fim, certifique-se que os registros em caixa e no extrato bancário são compatíveis e refletem com precisão todas as transações da empresa. 

Conciliação bancária com o suporte da consultoria e tecnologia contábil

Com os processos contábeis baseados em planilhas, a conciliação bancária, geralmente, é feita após o encerramento de um período, seja mensal, trimestral ou, às vezes, anualmente. Isso ocorre muito depois de a maioria das transações já terem sido concluídas, podendo acarretar em prejuízos, multas e desperdício de recursos. A falta de conciliação bancária periódica pode, inclusive, comprometer a saúde financeira do negócio.

Com o uso da tecnologia na contabilidade e o suporte de uma consultoria especialista no assunto, as empresas são capazes de executar o processo de conciliação bancária à medida que as transações acontecem.

Desse modo, a contabilidade permanece mais alinhada com os negócios, fornecendo aos principais interessados ​​informações de contas pertinentes quase em tempo real.

Conciliação bancária confiável.

Adotar a conciliação das transações bancárias como prática regular e constante não só resultará em maior eficiência, mas também fortalecerá os controles internos da gestão financeira.

Então, por que deixar um procedimento crítico e estratégico, como a conciliação bancária, para processos manuais, sujeitos a erros?

Digitalize e automatize as atividades contábeis com o suporte da tecnologia e a consultoria dos profissionais da iGO. Entre em contato com a gente e saiba como podemos auxiliar seu negócio!

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBEM